Notícias

No domingo, 16 de outubro, no estado indiano de Goa abriu-se oficialmente a oitava cimeira do BRICS
A oitava cimeira dos BRICS lançou-se oficialmente no estado indiano de Goa com uma cerimónia de fotografia conjunta dos líderes da união.

Depois de fotografar, são previstos eventos oficiais da cimeira que serão realizados no hotel Taj Exotica. Os presidentes da Rússia, Brasil e África do Sul, Vladimir Putin, Michel Temer e Jacob Zuma, bem como o primeiro-ministr o da Índia, Narendra Modi e o Secretário-geral da República Popular da China, Xi Jinping reunir-se-ão em um formato estreito, e, em seguida, manterão conversações com os membros do Conselho de Negócios do BRICS e uma sessão plenária com a participação de delegações nacionais.

Depois disso, serão assinados documentos conjuntos. Entre eles - uma declaração de Goa, combinando o plano de ação para o futuro próximo.

O presidente russo, Vladimir Putin na sessão conjunta de foto de líderes dos BRICS. À direita está o Presidente Sul-Africano, Jacob Zuma, à esquerda para a direita - o Presidente do Brasil, Michel Temer, o primeiro-ministr o da Índia, Narendra Modi e o Presidente da República Popular da China, Xi Jinping.
Na noite, os chefes dos Estados passarão para o hotel Leela, onde se reunirão com os representantes da associação dos países BIMSTEC ("Iniciativa da Baía de Bengal para a cooperação técnica e económica multissetorial "). Consiste, além de Índia, de Bangladesh, Butão, Mianmar, Nepal, Sri Lanka e Tailândia.

Os líderes dos países do BRICS levam em conta o parecer dos círculos empresariais na formulação de planos a longo prazo da cooperação comercial-económ ico e de investimento no âmbito dos "cinco", - disse Putin.

"A Rússia vai continuar a promover a convergência das economias dos "cinco", gerar as pré-condições para o lançamento de novos projetos empresariais. A Rússia convida comunidade empresarial de todos os países do BRICS para trabalhar no nosso mercado e desenvolver parcerias com empresas russas", - Putin disse no seu discurso em uma reunião dos líderes BRICS com o Conselho de negócios dos "cinco". BRICS tem um mercado consumidor amplo que envolve 3 bilhões de pessoas, uma base científica e tecnológica avançada e grandes reservas de matérias-primas, disse o presidente da Rússia.

Presidente do Brasil Michel Temer
O Presidente do Brasil Michel Temer chamou os países do BRICS para investir em projetos de infraestrutura e energia no país sul-americano.

Segundo ele, as autoridades lançam cerca de trinta e quatro projetos de infraestruturas em áreas como a construção de portos, aeroportos e caminhos-de-ferr o, bem como nos setores da energia e do gás.

"Posso assegurar-vos que, após as medidas tomadas, podemos verificar a confiabilidade dos investimentos futuros... Então eu convido empresas nos países do BRICS para investir no Brasil e participar desse novo momento do país. Vocês vão ver um país com estabilidade política, a segurança jurídica e um grande mercado consumidor" - Temer disse falando na cimeira dos BRICS.

"Eu apelo também aos empresários brasileiros, de modo que eles aprendam mais sobre os projetos que existem na Índia, China, África do Sul e na Federação Russa. A cooperação entre empresários dos nossos países será um catalisador para novos projetos" - acrescentou ele.

Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), estabelecido pelos países membros do BRICS, pretende consultar-se com Vnesheconombank (VEB) para entrar no mercado da dívida russa, mirando a colocar em 2017 títulos em rublos. Isso foi comunicado a TASS pelo presidente do NBD, Kundapur Kamath.

"Vamos consultar com VEB em questões relacionadas com o lançamento do NBD no mercado da dívida russa e a colocação de títulos do NBD em rublos, prevista para 2017" - disse Kamath.

Entre as áreas promissoras de cooperação com VEB, a cabeça do Banco chamou "cofinanciamento de projetos de infraestrutura e envolvimento da perícia do Vnesheconombank para a realização de projetos na Rússia", que podem ser financiados com a ajuda do NBD.

O Banco também espera receber da empresa estatal russa um apoio com pessoal e cooperação técnica, dada a "experiência considerável de participação do VEB em projetos internacionais."

Acordo sobre a criação de um novo banco de desenvolvimento, com sede em Xangai, foi assinado durante a sexta cimeira dos BRICS no Brasil em 2014. O Banco pretende tornar-se uma plataforma para aumentar os investimentos mútuos e comércio entre os países - membros da organização, bem como o financiamento de projetos de infraestrutura nos países BRICS e países em desenvolvimento.

Made on
Tilda